Vale a pena contratar um contador para declarar meu imposto de renda?

O imposto de renda é uma declaração anual muito importante que envolve dados, cálculos e valores. Este dever precisa ser cumprido com cuidado e por isso, muita gente acaba precisando contratar um profissional de contabilidade para auxiliar.

Mas será que com tanta facilidade proporcionada pela tecnologia ainda vale a pena contratar um contador para declarar o seu imposto de renda? Esclareça esta dúvida lendo o texto abaixo.

O que é o imposto de renda?

Esta obrigatoriedade representa o imposto sobre os rendimentos tributáveis adquiridos pelo contribuinte. Este é um dos valores mais importantes que o cidadão brasileiro precisa cumprir.

O imposto de renda se divide em duas categorias, sendo elas o Imposto de Renda para Pessoa Física (IRPF) e o Imposto de Renda para Pessoa Jurídica (IRPJ).

Não cumprir com este dever dentro do prazo estabelecido pela Receita Federal pode acabar rendendo problemas para o cidadão, por isso, vale a pena conferir já o Imposto de Renda 2019 e estar preparado para as datas e regras.

Vale a pena contratar um contador?

Você sabia que pode verificar informações e realizar a declaração do IRPF direto no seu computador? Esta facilidade é muito importante e pode auxiliar muito a vida do cidadão.

Mas ainda vale a pena contratar um contador? Sim, mas depende da situação. Para os contribuinte que irão realizar a sua primeira declaração do imposto, pode ser uma boa ideia contratar o profissional, pois ele também ficará atento a restituição IRPF e demais dados.

Informar dados errados, omitir valores e efetuar cálculos incorretos pode levar a pessoa a cair na malha fina. Portanto, se você tem dificuldades como regulamento do IR, o contador pode ser uma boa opção.

Este profissional deverá saber tudo sobre os impostos devidos,  e evitar dor de cabeça para você, então para o IRPJ, ou seja, para as empresas, a presença do contador é fundamental.

O que é a restituição do IR?

Se após a declaração do seu imposto de renda, as deduções realizadas como gastos médicos, gastos com educação e pensão alimentícia, interferirem no cálculo do IR, pode ser que você tenha um valor a receber.

O mesmo pode acontecer em relação a Receita Federal. Após os cálculos pode ser que você tenha um valor a pagar com o IR. Para ambos os casos, será estabelecido um prazo para o pagamento do valor em questão. É importante estar atento a divulgação de informações do IR para fazer o seu saque!

Como corrigir erros cometidos na declaração do IR?

Anualmente milhares de pessoas fazem a declaração do imposto de renda. No documento online, os cidadãos precisam relatar todos os seus bens. Caso haja o preenchimento errado de alguma informação, erro na digitação, ou o esquecimento de algum bem, isto pode fazer com que a declaração do imposto cai na malha fina.

Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF)

O IRPF é um documento gerenciado pela Receita Federal que deve ser preenchido por todos aqueles que receberam rendimentos tributáveis anual acima de R$28.559,70. E rendimento não tributável anual superior a R$40.000,00.

A Receita Federal disponibiliza em seu site oficial o programa que deve ser baixado para realizar o preenchimento da declaração. Esta é uma forma de controlar quais foram os rendimentos do cidadão brasileiros, e verificar se todos os impostos foram corretamente pagos.

Existe um período estabelecido para elaborar a declaração. É necessário cumprir com as datas divulgadas. Depois de enviado a Receita, o declarante pode consultar o resultado do processamento no extrato IR, também disponível no site.

Erros comuns na declaração do imposto de renda

No momento do preenchimento do IRPF algumas pessoas cometem erros que podem causar complicações. Embora todos saibam que a sonegação de imposto é crime, por descuido acabam se prejudicando.

Vale lembrar que caso a Receita Federal constate que o declarante pagou um valor superior ao que deveria, o órgão realiza a reinstituição do IRPF devolvendo o valor à mais.

Normalmente os erros são:

  • Erro na digitação;
  • Informar dados diferentes do que os constatados na fonte de informação;
  • Omitir rendimentos próprio ou dos dependentes;
  • Repetir o dependente em mais de uma declaração;
  • Quando em condição de inquilino, deixar de declarar o aluguel pago.

O que fazer para corrigir os erros na declaração do IRPF?

Assim que perceber que houve algum erro no momento da declaração, o ideal é procurar reajustar o documento antes que seja feita o processamento da Receita Federal.

Para isso, basta acessar o site da Receita e no item ‘Declaração’ escolher a opção ‘Retificação’. O portal orienta quais os prazos e condições permitem que a declaração seja alterada, e ainda dá a opção de refazer o documento via internet.

O Bolsa Família Acumula Quando Não é Sacado?

Uma ajuda financeira muito importante para as famílias de baixa renda é o Bolsa Família.

O programa do Governo Federal, gerenciado pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), visa contribuir com o desenvolvimento social e econômico dessas famílias. Beneficiando mensalmente com um valor que deve ser utilizado na compra de alimentos, investimento na saúde e etc.

Como Solicitar o Bolsa Família

O programa tem como objetivo beneficiar pessoas em vulnerabilidade social. Por isso é comprovar que a família pertencem ao índice de pessoas em baixa renda. De R$89 a R$172 mensais por pessoa.

O cadastro é feito em uma unidade do CRAS. Na ocasião, o sistema gera um Número de Identificação Social (NIS). Para realizar esse processo é preciso comparecer até o CRAS com documentos de identificação da família e comprovação de renda.

O MDS avalia os cadastrados por município, e seleciona aqueles que mais necessitam com base no índice de pobreza registrado na região.

As famílias escolhidas recebem um cartão da Caixa Econômica Federal para saque mensal do valor.

Valor Bolsa Família

O valor do Bolsa Família depende do tipo do benefício. O valor mínimo é de R$89 por pessoa que pertence a família.

Para famílias com crianças e jovens de 0 a 15 anos, ou com gestantes, o valor é de R$41. E pode acumular até 5 benefícios, totalizando R$205 por mês.

Os cadastrados que comprovem viver em extrema pobreza podem acumular até R$372 por mês. Mas para a separação dos benefícios, o MDS faz uma avaliação rigorosa sobre cada família cadastrada.

A data de pagamento varia conforme o mês e o último número de registro do cartão. Lembrando que o número de identificação do cartão é o mesmo do NIS.

Bolsa Família Acumula?

O benefício deve ser sacado em até 90 dias, se dentro desses três meses o dinheiro não for retirado ele pode acumular.

Quando o responsável pela família não realiza o saque dentro desses período o governo pode bloquear o dinheiro, e a liberação só é feita quando o motivo pelo qual o débito não foi realizado é esclarecido no CRAS.

Saiba como funciona o financiamento do Minha Casa Minha Vida

O sonho da casa própria de muitos brasileiros tem sido realizado através do programa Minha Casa Minha Vida. Muitas famílias já saíram do aluguel e passaram a construir patrimônio através desta iniciativa. Nem todo mundo entende os requisitos do programa, então quem quer saber como funciona o financiamento do Minha Casa Minha Vida e como participar, deve conferir o texto a seguir:

O que é o Minha Casa Minha Vida?

O programa Minha Casa Minha Vida foi criado em 2009 e objetiva tirar as famílias da situação de aluguel, através de subsídio para imóveis que estejam de acordo com seus orçamentos. O financiamento da iniciativa é feito através da Caixa Econômica Federal e é direcionado às família que possuam renda bruta de até nove mil reais.

Cada vez mais famílias têm conquistado o subsídio do programa, mas vale ressaltar que ão é todo mundo que pode ser beneficiado por este auxílio. Saiba a seguir, os requisitos para participar do Minha Casa Minha Vida.

Quem pode participar?

O subsídio do programa é dividido em quatro faixas, dependendo da renda familiar de cada situação, são elas:

  • Faixa 1 – Famílias com renda mensal de até R$ 1.800
    Para estas famílias, a taxa de juros cobrada é equivalente a 0% e o governo subsidiará 90% do valor do imóvel.
  • Faixa 1,5 – Famílias com renda entre R$ 1.800 e R$ 2.600
    A taxa de juros para esta faixa é de 5%.
  • Faixa 2 – Famílias com renda mensal entre R$ 2.600 e R$ 4.000
    Os juros cobrados vão de 6% a 7%.
  • Faixa 3 – Famílias com renda mensal entre R$ 7.000 e R$ 9.000
    Neste caso, os juros variam entre 8,16% e 9,16%, e o beneficiado terá até 30 anos para pagar.

Quem não está de acordo com os requisitos do  Minha Casa Minha Vida, deve saber que há outras oportunidades de conquistar a sua casa própria com o auxílio de um programa. Para quem quer morar num lugar só seu, nos próximos meses, pode se inscrever no codhab 2019. O programa intenciona oferecer subsidio para que famílias de baixa renda possam comprar uma casa.

Esta oportunidade é para você? Então saiba mais, através do link: https://morarbem.blog.br/morar-bem-2018/

Como se inscrever no programa?

Para as famílias com renda inferior ao previsto pela faixa 1, é preciso se inscrever na prefeitura de sua região, ou no órgão responsável pelo programa. Já as outras famílias precisam passar por avaliação da Caixa.

Se aprovado o seu requerimento, será gerado um contrato a ser assinado para que o financiamento seja liberado e você possa conquistar a sua casa própria e sair do aluguel.

Quem pode fazer o cartão cidadão?

Você sabia que o cartão cidadão garante diversas facilidades para o beneficiado que o utiliza? Com tanta burocracia para adquirir serviços bancários e previdenciários, é importante estar ciente de alguns instrumentos que podem facilitar o seu dia-a-dia. Quer entender um pouco mais sobre o cartão cidadão e saber quem pode fazê-lo? Veja as informações a seguir e descubra se você preenche os requisitos.

O que é o cartão cidadão?

O cartão cidadão facilita o acesso a serviços sociais e é um beneficio utilizado por pessoas que têm valores a receber tais como o FGTS, seguro desemprego e o PIS, que são direitos trabalhistas. Para receber esses direitos, é necessário verificar se você preenche os requisitos.  Confirme se você tem acesso e veja como receber o pagamento do PIS.

O abono salarial é um valor disponível para os trabalhadores de empresa privada cadastrados a mais de 5 anos que recebem até dois salários mínimos. Quem está de acordo com esta situação, mas não sabe quanto irá receber, deve consultar saldo PIS 2019 e se informar.

Quais as vantagens?

Para os trabalhadores que têm benefícios, tais como os já mencionados acima, o cartão irá permitir o fácil acesso a saldos dos valores, saques em vários postos, impressão de extratos, sacar valores do Bolsa Família, pagamento direto com o cartão nos canais autorizados pela Caixa Econômica Federal. Sem contar que o cartão permite que você faça saques em diversos postos próximos a você.

Quem pode fazer?

Como este benefício fica disponível para quem tem um valor de direito trabalhista a receber, é provável que você possa solicitá-lo. Se você é um trabalhador de instituição pública ou privada que já atuou com a carteira assinada significa que terá um Fundo de Garantia por Tempo de Serviço sendo acumulado, e portanto, pode realizar a solicitação do Cartão Cidadão.

Como solicitar?

Se você se encaixa no perfil de quem pode se utilizar do cartão da Caixa, saiba a seguir como você pode solicitar o seu. A boa notícia é que a aquisição do cartão é gratuita! Antes é preciso que você:

  • Esteja cadastrado no PIS/PASEP;
  • Possua o Número de Inscrição Social (NIS) ou o Número de Inscrição do Trabalhador (NIT);
  • Tenha dados cadastrais atualizado com a Caixa Econômica Federal.

Se os requisitos acima estiverem regulares, você deve levar toda a sua documentação e um comprovante de renda até uma unidade da Caixa e solicitar uma senha de atendimento para o serviço. Outra opção é ligar para o número 0800-726-0207 e receber as instruções através do atendimento virtual.

Quem pode fazer cadastro no Minha Casa Minha Vida?

O Minha Casa Minha Vida é um programa criado pelo Governo Federal que visa auxiliar famílias brasileiras de baixa renda a conquistar o sonho da casa própria através de subsídios. Muitas famílias já foram beneficiadas pelo programa, mas para ter direito a ele é necessário preencher alguns requisitos. Descubra a seguir quem pode realizar cadastro no Minha Casa Minha vida.

De 2009 para o último ano, mais de 27 milhões de brasileiros foram contemplados pelo Minha Casa Minha Vida. O programa oferece muitos benefícios na hora de adquirir sua casa própria. Além do subsídio, quem estiver cadastrado no Minha Casa Minha Vida também terá direito a taxas de juros consideravelmente menores.

O projeto não serve somente para as famílias que querem sair do aluguel, é viável também para quem quer sair das zonas de risco. Mesmo as pessoas que fazem parte do programa bolsa família podem participar.

Quem pode se inscrever

Para poder fazer parte do Minha Casa Minha vida é necessário:

  • Ter uma renda familiar de até 7 mil reais. O valor da renda familiar corresponde ao somatório da renda individual de todos os moradores de uma mesma casa.
  • Não ter se beneficiado de nenhum outro programa de habitação familiar. É importante não ter utilizado de nenhum serviço semelhante de incentivo do Governo Federal.
  • Não ter imóvel nem casa própria no seu nome. Quem está em busca da primeira residência própria não terá problemas para se inscrever.
  • Apresentar comprovação de renda. É obrigatório apresentar um documento que comprove a sua renda familiar.

Como se inscrever

Se você se encaixa nos requisitos citados acima, significa que você pode vir a ser um beneficiado do Minha Casa Minha Vida. Para se inscrever no programa você deve

  • Procurar no seu município o órgão responsável pelo programa.
  • Em seguida, você deve realizar, na sua cidade, o cadastro do CadÚnico. Esse é um cadastro social que une informações sobre famílias de renda baixa.
  • Apresente no órgão seus documentos. Estes são: o comprovante de renda familiar já mencionado, documento de identidade e CPF.
  • Siga os passos indicados pela assistente social. Após solicitar o seu cadastro, uma assistente social ficará responsável por lhe dar as instruções básicas para o andamento da compra. É importante seguir passo a passo.

Para saber mais sobre a sua situação familiar e valores, você pode acessar o site da Caixa Econômica. No site você pode ainda fazer simulações de subsidio de acordo com a sua renda, ou você tem a opção visitar a agência mais próxima a você.

Saiba Como Funciona o Direito ao Auxílio-Doença?

Dos direitos do trabalhador contribuinte com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) o auxílio-doença um dos mais requisitados. Ele é simples de compreender e não necessita de advogado ou auxílio de outro profissional da área jurídica para requisitar. Saiba como fazer e quais as regras a seguir.

O que é o auxílio doença?

O auxílio-doença é um direito trabalhista coberto pelas Consolidações das Leis de Trabalho. Todos os trabalhadores brasileiros devidamente registrados com carteira assinada realizam possui um direito a requisitar esta ajuda diretamente ao Instituto Nacional de Seguridade Social.

A finalidade do auxílio-doença é amparar o trabalhador quando ele não pode mais entrar no mercado de trabalho e exercer a sua função de acordo com a sua capacitação profissional. Ou seja: por motivo de doença (seja ela qual for, uma condição médica) o trabalhador não poderá mais ter um emprego e precisará de uma regra para se manter alimentado ou cuidar de sua doença. É neste momento que entra o auxílio.

A ideia do Instituto Nacional de Seguridade Social é fornecer suporte financeiro ao trabalhador quando ele não é mais útil para a empresa. Se ele está doente não poderá trabalhar e a empresa não precisa ficar pagando o salário para quem não tem condições de trabalhar. Ninguém irá contratar também um funcionário incapacitado e por isso ele pode recorrer ao auxílio.

Regras para ter direito ao auxílio doença

Sabemos que o Instituto Nacional de Seguridade Social vive da contribuição de todos os trabalhadores brasileiros. Por esse motivo é preciso ter contribuído com o menos dois anos (24 meses, não precisam ser seguidos) ao INSS para ter direito a solicitar o benefício.

Outra regra também muito importante é ter em uma avaliação médica comprovando a sua condição. Você não apenas irá dizer que está doente. É preciso comprovar o seu quadro clínico por meio de exames de médicos credenciados para emitir o laudo e passar uma por uma perícia dos médicos do Instituto Nacional de Seguridade Social.

O que caracteriza a necessidade do auxílio-doença é ter alguma enfermidade com a qual não se possa trabalhar de nenhuma forma. Neste caso o trabalhador  passa por uma avaliação médica e é dispensado da empresa para repousar em casa e seguir com seu tratamento médico.

O auxílio-doença é pago por um período pré-determinado. Esse período pode ser de alguns meses ou um pouco mais de um ano. Finalizado o prazo é preciso uma reavaliação para saber se o pagamento pode continuar sendo feito deverá ser suspenso.

Como se solicita o auxílio doença?

O processo para receber o auxílio doença é iniciado em uma agência de atendimento do INSS. O pré agendamento é realizado online no site da empresa e em seguida a visita é feita na Instituição no dia e horário marcar.

Os exames são analistas pelos técnicos de Seguridade Social e uma avaliação médica será marcada. Estando a condição clínica avaliada em conformidade com as regras do auxílio o pagamento é liberado nos próximos dias de acordo com a tabela inss 2019.

Como realizar as inscrições no Pronatec?

Os interessados em buscar uma formação profissional em diversas áreas possuem o Pronatec como suporte. Os cursos técnicos do programa governamental são ofertados para jovens e adultos sem diploma em nível superior ou buscando uma mudança na carreira. São gratuitos e com cadastro de graça também. Saiba mais a seguir. 

Entendendo mais sobre o Pronatec

Criado no ano de 2011, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, conhecido popularmente por sua sigla Pronatec, está em vigência em todo o Brasil. Consiste em oferecer vagas em cursos técnicos de qualidade de graça. Material e fardamento necessário estão incluídos nesta gratuidade.

Os cursos são oferecidos através de parceria entre o Governo Federal, Ministério da Educação (MEC) e escolas técnicas de todo o Brasil. As instituições de ensino oferecem cursos específicos para o programa com professores capacitados com aulas divididas entre teoria e prática.

O objetivo principal do programa é ampliar as oportunidades de emprego para jovens e adultos baixa renda. Por meio de cursos técnicos o Ministério da Educação ajuda a lançar no mercado mão de obra qualificada. Isso ajuda tanto na economia do país como a abrir oportunidades para mudança de qualidade de vida. 

Cursos do Pronatec

Os cursos do Pronatec são oferecidos em instituições de ensino diversificadas. Uma delas é o Senai – Serviço Nacional de Aprendizagem. Há escolas técnicas em diversas cidades brasileiras com parcerias oferecendo os cursos.

Os cursos podem ser de dois tipos:

  • Qualificação profissional de trabalhadores – de 160 a 400 horas para quem já concluiu o ensino médio; 
  • Técnico profissionalizante – para quem for fazer ou esteja cursando o ensino médio com formação profissional – com duração de 1 a 3 anos.

Alguns dos cursos disponíveis são:

  • Nutrição e dietética;
  • Óptica;
  • Manutenção automotiva;
  • Manutenção de aviação;
  • Metalurgia;
  • Eletromecânica;
  • Soldagem;
  • Contabilidade;
  • Recursos Humanos;
  • Informática;
  • Rede de computadores;
  • Transporte rodoviário;
  • Infantaria;
  • Agroindústria;
  • Paisagismo;
  • Rádio e televisão;
  • Dentre outros.

Pré requisitos para o Pronatec

Os pré requisitos para fazer um dos cursos do Pronatec devem ser seguidos. O mais importante é ser baixa renda, ou seja, receber até dois salários mínimos como renda familiar. Isso permite que apenas quem realmente precise se matricule. 

Para os alunos interessados em cursos técnicos equivalentes ao ensino médio é preciso ter concluído o fundamental. Para quem quer o técnico como nível superior precisa ter o ensino médio completo. Não há idade limite.

Como se inscrever no Pronatec

As inscrições no Pronatec devem ser realizadas nas escolas as quais os cursos são ofertados. Para as inscrições SENAI, por exemplo, é preciso se dirigir até uma sede da escola na cidade com os documentos pessoais.

Para consultar quais os cursos oferecidos em sua cidade e as escolas cadastradas no programa é só entrar no site, o que você faz clicando aqui. Basta preencher os dados do formulário simples e depois buscar as vagas nas escolas técnicas mais próximas e o período de inscrição. 

Os documentos necessários são:

  • Identidade;
  • CPF;
  • Comprovante de residência;
  • Carteira de trabalho para quem já concluiu o ensino médio.

Tanto matrícula como material didático são fornecidos gratuitamente. Como os cursos possuem vagas diversificadas e de acordo com a temporada, é preciso visitar presencialmente os pontos de atendimento e saber quais estão com matrículas abertas.

Como fazer cursos profissionalizantes de forma gratuita

Cursos profissionalizantes possuem como proposta principal tornar o profissional capacitado para entrar no mercado rapidamente. São de curta duração e focados na prática profissional, tornando o recém formado apto para estudar assim que as aulas finalizam. Para quem tem interesse temos boas dicas de cursos profissionalizantes gratuitos. Saiba mais!

Como fazer um curso profissionalizante gratuitamente

Muitas escolas oferecem cursos profissionalizantes grátis e com nome forte no mercado. Um bom exemplo. Um bom exemplo é o Senai, com unidades de ensino em diversas capitais brasileiras e com cursos de curta duração gratuitos ou de baixo custo. O Senai MG oferece cursos na área de mecânica, de elétrica e algumas semelhantes com preço baixo e ótimo material de estudo.

O Senac também é uma ótima dica. Mesmo sendo a maioria dos cursos pagos, há bolsas de estudos para alunos de baixa renda. Basta procurar uma das unidades de ensino e se informar como faz para concorrer e quais os temas das aulas disponíveis. A escola é referência em ensino técnico em todo o Brasil e sua certificação é muito apreciada no mercado de trabalho. 

Há ainda como opção os cursos do Pronatec. Em algumas cidades brasileiras há vagas disponíveis para quem já concluiu o ensino médio, com especial ênfase a quem é um beneficiário de bolsas assistenciais do Governo. Os temas são os mais variados, indo de auxiliar administrativo a mecânica. 

Muitas escolas pagas também sorteiam bolsas de estudos. Vale entrar nos sites de endereços próximos à residências se informar sobre possíveis vagas de bolsas para cursos técnicos. Também vale ficar ligado em sites de universidades, faculdades, cursos de idiomas e cursinhos para vestibular que também ofertam bolsas para quem quer incrementar ainda mais o currículo. 

Dicas de como escolher um curso profissionalizante

A oferta de escolas com cursos é grande e nem sempre as instituições de ensino pensam no mercado ou no aluno. Elas precisam de lucro e por isso oferecem todo o tipo de curso. Vale pesquisar um pouco antes da matrícula. 

Um dos pontos importantes a serem analisados é a oferta de mão de obra de uma determinada área em sua cidade. Há muitos cursos de um mesmo tema? Possivelmente os profissionais estão se esbarrando em busca de vagas e os salários estão muito baixo. Quando há poucas turmas e sempre vagas anunciadas para uma área, esse é seu curso ideal. 

Cursos novos no geral surgem porque há demanda de mão de obra e poucos profissionais. É um bom momento para apostar na escolha, em especial na área de tecnologia. Mão de obra para celulares e smarthphones sempre é requisitada e pode ganhar dinheiro como profissional liberal ou trabalhando para uma empresa. 

É um bom avaliador também áreas que são constantes. Alimentação, mecânica de carros e estética são setores os quais sofrem pouco com as crises financeiras e se mantém constante. Avalie se a sua área de interesse não muda muito rápido (caso de informática, por exemplo) e você não vai precisar fazer muitos cursos rapidamente para se manter atualizado. 

 

 

Como tirar 1000 da redação do ENEM

A nota máxima na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é 1000. Um sonho? Na verdade não. Cada vez mais alunos estão alcançando a pontuação máxima porque conseguem criar um bom texto. Não é difícil e para isso temos algumas boas dicas a seguir. 

É possível tirar 1000 da redação do ENEM?

O modelo de redação cobrado na prova do Enem é do tipo dissertação. O aluno necessita explanar sobre o tema, desenvolver uma linha de raciocínio se posicionado a favor ou contra e dando os seus argumentos. Este tipo de texto é cobrado tanto no Exame Nacional como em vestibulares e concursos.

O mais importante a saber é: tirar a nota máxima no Enem é totalmente possível. Na verdade é cada vez mais comuns os alunos alcançarem a pontuação 1000 na prova do Enem porque estão mais atentos aos detalhes. 

Dicas para tirar 1000 da redação do ENEM

A redação é uma sub disciplina de português com tanta importância quanto as demais. Muitos estudantes a subestimam, tentando fazer uma boa prova de improviso. Redação necessita de treino e revisão para aprimoramento tanto quanto as outras disciplinas. 

Mais dicas são:

Atente para a gramática – erros de português valem décimos na prova mas são importantes. Se não tem certeza de como uma palavra é escrita o melhor é buscar uma alternativa correspondente de fácil correção. 

Faça uso de no máximo cinco parágrafos – cada parágrafo depende uma ideia ou lança pontos positivos e negativos. Organize seu texto de forma a ser de fácil leitura não dividindo demais por excesso de parágrafo. O ideal é cada bloco ter no máximo cinco linhas.

Não sabe a fonte? Não cite – o pior erro de uma redação do Enem é citar uma frase sem o nome do autor ou uma pesquisa sem o órgão. Soltar números a esmo ou frases de efeito errando o autor são grandes gafes que podem custar uma pontuação da nota.

Argumente seu ponto de vista – uma boa argumentação rende pontuação extra. Ela deve explicar o porquê da escolha do seu ponto de vista. Quanto mais criativo for e mais embasar seu argumento, maior a pontuação. 

Cuidado com o escapismo do tema – leia com atenção a proposta da redação e tenha certeza de a ter compreendido bem. Nada de citar exemplos sem qualquer relação ou argumentar sobre algo semelhante. Atenha-se à temática do começo ao fim da redação. 

Releia o texto várias  vezes – como você escreveu a redação alguns erros de grafia podem passar em branco. Atenção ao passar a limpo e paciência para não errar na escrita.

Como se preparar para uma boa redação do Enem

O trabalho dentro de sala de aula é importante, mas fora dela também. Como o tema da redação do Enem não é anunciado antes, é preciso estar preparado para tudo. As dicas dos professores especialistas são:

  • Fique ligado nas atualidades – para ter boas informações sobre qualquer tema é preciso ler muito;
  • Leia muitos livros – aumente seu vocabulário lendo e procurando o significado de palavras desconhecidas;
  • Escreva uma redação por semana – isso vai te dar um bom treino até a prova.